Blogs - Contabilidade Em Jundiaí - SP | Grupo EFE Soluções Empresariais

A importância da separação das despesas de PF e PJ

Você já se perguntou qual é a importância de separar as despesas de Pessoa Física e Pessoa Jurídica? Se ainda não, veja o porquê você deve reorganizar essas duas rendas o quanto antes.

Administrar as finanças de uma empresa de maneira correta é uma das chaves para o sucesso. Sem um controle financeiro, é praticamente impossível saber o quanto de lucro a empresa está gerando, controlar o fluxo de caixa e tomar decisões conscientes.

Assim, quando as despesas de Pessoa Física e Pessoa Jurídica estão misturadas, entender os gastos e garantir a sustentabilidade do negócio se torna um desafio e o planejamento financeiro fica comprometido. 

Se para a sua vida pessoal é ruim a ausência de planejamento, para a empresa é pior ainda. Afinal, existe o risco de as contas não fecharem, de não compor caixa para investimentos e até mesmo de acumular dívidas.

Você sabia que, de acordo com o IBGE, 25% dos empreendedores brasileiros que fecharam suas empresas apontaram a falta de gestão como um dos motivos principais para a falência? A maioria das empresas morre por falta de conhecimento em gestão e finanças.

Por isso, o melhor é que, desde o início, você evite misturar o seu dinheiro com o da sua empresa. Isso vai permitir a você ter um negócio financeiramente saudável e um maior controle dos seus gastos pessoais.

 

Pessoa Física x Pessoa Jurídica

Ao constituir uma empresa, a primeira coisa que devemos ter em mente é que Pessoa Física e Pessoa Jurídica são totalmente distintas e com funções distintas. Por isso, é tão importante que haja distinção nas despesas também. Vejamos: 

Pessoa Jurídica possui:

  • CNPJ
  • Declarações mensais e anuais a serem entregues
  • Obrigações acessórias em relação aos seus funcionários, entre outros.

 Pessoa Física possui:

  • CPF
  • DIRPF (Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física) para ser entregue anualmente, conforme os requisitos para obrigatoriedade, entre outros.

Você não está separando PF de PJ, quando:

  • Usa o cartão ou a conta Pessoa Física para despesas ou receita da empresa. 
  • Usa o cartão ou a conta da empresa para despesas ou receita da Pessoa Física.
  • Usa uma única conta bancária para a Pessoa Física e a Pessoa Jurídica.
  • Compra bens para empresa em nome da Pessoa Física.
  • Paga contas de outra empresa do mesmo grupo.

 

Consequências de não separar a PF da PJ

  • Você pode tirar mais dinheiro do que o seu caixa aguenta:

Se você juntar os valores das vendas ou serviços prestados com o seu dinheiro pessoal, pode acabar achando que tem mais dinheiro do que realmente tem. Com isso, corre o risco de usar o lucro da empresa para pagar contas da casa, por exemplo, e ficar sem dinheiro para seguir com o negócio.

  • Pode parecer que não “sobra nada” do seu negócio para você:

Quando o dinheiro da empresa não está separado do seu dinheiro pessoal, é possível que em algum momento você pense que não está ganhando nada com o seu trabalho. Por isso, é importante estabelecer logo de início qual vai ser o seu Pró-labore, que é como se fosse um “salário” para quem é dono de um negócio.

  • Não saber se a sua empresa está dando lucro:

Como ter certeza de que o seu trabalho está sendo rentável sem organizar o dinheiro que entra e sai do caixa? Da mesma forma que você pode achar que não tem um retorno para gastar no seu dia a dia, a confusão com os “tipos de dinheiro” também pode te deixar sem saber se o negócio está dando um retorno financeiro positivo. 

  • Você pode ser pego de surpresa em casos emergenciais:

Isso pode acontecer quando seus valores pessoais ficam misturados com os recebidos pelo seu trabalho. Sem a divisão, você corre o risco de não conseguir passar por emergências e ainda colocar em risco a saúde financeira do seu negócio.

 

Benefícios de fazer a separação da PF da PJ

  • Maior controle sobre as receitas e gastos;
  • Obtenção dos resultados de investimentos realizados e das projeções de crescimento;
  • Planejamento financeiro do negócio mais organizado;
  • Melhor evidência do lucro e do faturamento reais da empresa;
  • Melhor gerenciamento dos recursos.

Assim como não se deve pagar despesas da empresa com dinheiro da Pessoa Física, vale lembrar que retirar dinheiro da empresa de forma descontrolada não é a forma correta. Ao constituir uma empresa, o sócio só consegue retirar dinheiro dela através da Pró-labore e Distribuição de Lucro, quando comprovada pela contabilidade.

Gerir uma empresa não é fácil e, às vezes, negligenciamos algumas boas práticas. Por isso, é fundamental fazer um bom planejamento financeiro tanto para Pessoa Física quanto para Pessoa Jurídica e também separar o recurso entre elas.

Está com dúvidas? Antes de fazer qualquer tipo de transação entre sua empresa e Pessoa Física, conte com a EFE! Podemos te orientar nesse processo e ajudar você a controlar e diminuir erros que possam prejudicar o desempenho de sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado só para você
Vender, desenvolver, gerir pessoas, emitir notas, cobrar e pagar são…
Open chat